sexta-feira, 2 de março de 2007

Casas da Rocha

Praia da Rocha - 2007
Por vezes, volto as costas para o mar e avisto casas que, felizmente, ainda destoam das que as rodeiam.

A paisagem da Praia da Rocha não é só areia, mar e sol. Quando, caminho pelo passadiço de madeira ou, à babuja, pela areia fresca, frequentemente dou comigo a olhar para o casario e, aqui e além, no meio daqueles caixotes de betão, ainda consigo descortinar uma casinha ou outra com a sua graça.

Eventualmente, não serão de grande traça arquitectónica - deixo isso aos entendidos, que pouco me preocupa - mas que me agradam à vista, agradam.

Provavelmente, porque as vejo à beira do sufoco, apertadas por edifícios feios e desproporcionados, quais espécies infestantes, construídos à sua volta nas últimas décadas, sinto a sua beleza sobressair como que num pedido de socorro, talvez desesperado, apelando à atenção de quem passa.

Praia da Rocha - 2007
Estas pequenas casas que, no seu tempo, eram grandes mansões estão agora oprimidas por grandes edifícios sem qualquer beleza.

Felizmente, todas as aqui apresentadas têm horizonte aberto para o mar em condições de não ser possível - digo eu - emparedá-las desse lado. Será, certamente, uma garantia de que poderão continuar a ser apreciadas por todos os que delas gostem como eu, sejam portimonenses ou visitantes e amigos da nossa terra.

Isso, claro, com uma boa dose de optimismo que, por vezes, já é difícil de arranjar. Porque no fundo, no fundo, surge-nos sempre a dúvida e, mesmo involuntariamente, uma pergunta vem ao de cima:

Até quando se manterão a consolar-nos a vista, sem ser substituídas por outras edificações, mais modernas e rentáveis, árvores de patacas inevitavelmante mais feias e deprimentes, para acolher mais uns bares, restaurantes, artesanatos ou seja lá o que for?...

Praia da Rocha - 2007
Por quanto tempo mais, o pequeno Hotel Bela Vista se manterá assim com o seu palmar-esplanada?...

O que mais me custa e preocupa é ver que a generalidade dos jovens das últimas gerações, da Praia da Rocha só conhecem os bares da zona da Katedral, numa perspectiva embaciada, húmida e acinzentada da noite.

Quanto à praia propriamente dita, também a conhecem de revés, quando, com os olhos ainda piscos da noitada na tal zona dos bares, se atrevem, aí pelas seis, sete horas da tarde, a dar o seu mergulho vespertino no intuito de melhor despertar para mais uma sessão nocturna de shots & bejecas.

Se eles já alguma vez tiveram oportunidade de apreciar a beleza das pequenas coisas como estas ou se, ao menos, sabem que elas existem, não lhes posso dizer. Porque já não há tempo, condições e, ainda menos, vontade para as gerações dos cotas e dos jovens (em idade física, claro...) dialogarem sobre seja o que for.

Praia da Rocha - 2007
Poucos já terão tido o privilégio de olhar o mar a partir daquelas janelas.

2 comentários:

Maraffaada disse...

Gostei! Mostra aqui "um pouco do pouco" que a Praia da Rocha ainda tem! O Hotel Bela Vista é, para mim, o melhor de toda aquela área, pela localização, pela vista mas sobretudo pela estética que ainda preserva o que a Praia da Rocha foi em tempos!
Cumprimentos!

bettips disse...

Como ia sempre directa ao blog Parente, não chegava nunca AQUI! Sempre uns olhos ternos (e mais fácil de ler, confesso...) mas muito TRISTE. Deixei há anos de ter "vontade" de ir para aí...por causa do horizonte cortado, da marina e aqueles edifícios todos. A partir de Ferragudo, ficou uma imagem feia! Na principal descida para a P. da Rocha (perto hotel Jupiter parece-me) ainda está uma bela casa, apalaçada? Eu até sabio o nome dela, é dum grande industrial textil aqui do Norte, da Textil Manuel Gonçalves!
Querido Parente, de visual moderno/antigo, abraços!